Pulseiras de identificação ajudam em casos de desaparecimentos de crianças

De acordo com a estimativa do Governo Federal, cerca de 40 mil crianças desaparecem todo o ano no Brasil. Todavia, como nem todos os casos possuem registros oficiais, estima-se que o número seja bem maior. Entre os motivos dos desaparecimentos, podemos listar casos de sequestro por quadrilhas que podem ter como objetivo o trabalho escravo infantil, a venda de órgãos, a prostituição infantil e a adoção ilegal. Além disso, existem situações onde as crianças, por distração, distanciam-se dos seus pais e perdem-se.

A iniciativa da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro em desenvolver o Programa Pulseira Legal visa a crescente redução de casos como esses. Ambientes com muito movimento e rotatividade de pessoas são propícios para esses crimes e, também, para ocasionar pequenos descuidos quem podem resultar nesses ocorridos. Com as pulseiras, as crianças são facilmente reconhecidas por meio do telefone do responsável que deve estar escrito na área destinada às informações úteis. Ademais, dependendo da coloração da pulseira, fica mais fácil identificar a criança mesmo de longe. Portanto, recomenda-se o uso de tons fortes ou até fluorescentes. Por conta do seu brilho, as pulseiras de PVC holográficas da PasseVIP são uma ótima opção.

Confira, a seguir, 10 dicas para prevenir o desaparecimento de crianças:

1-      Não autorize que a criança saia sem a supervisão de um responsável.

2-      Oriente a criança a não dar informações para estranhos.

3-      Coloque a pulseira de identificação adequadamente no pulso da criança.

4-      Oriente a criança a não receber nada de desconhecidos.

5-      Tire o Registro de Identidade Civil (RG) da criança o mais rápido possível.

6-      Ensine, desce cedo, dados úteis como nome completo dos responsáveis e telefone de casa.

7-      Procure conhecer todas as pessoas próximas envolvidas no convívio da criança.

8-      Fique atento com o conteúdo que a criança visualiza através da internet.

9-      Converse com a criança sobre os riscos de andar sozinho.

10-  Mesmo na presença de um responsável, não autorize que a criança distancie-se muito.

 

 

Notícias relacionadas